O abacate é caracterizado por seu rico conteúdo em gordura, 8,8g% no abacate roxo, 15,8g% no abacate Guatemala, de 16 a 18,5g% no abacate comum. Aproximadamente 89% do calor energético do abacate provém desta gordura assim distribuída: 3,7g de gordura saturada, 8,3g de gordura monoinsaturada e 6,5g de gordura poliinsaturada e quantidades ínfimas de colesterol (14mg%). O abacate, em comparação com outra fruta, tem valor energético considerável devido ao seu alto teor de gordura e possui alto conteúdo em proteínas e em sais minerais em relação a outras frutas. Ainda é uma fonte de Vitamina E, portanto possui ação antioxidante e sinérgica com a vitamina C.

Estudos mostram que o consumo de dietas ricas em gorduras monoinsaturadas (ácido oléico), em substituição de gorduras saturadas, exerce seletivos efeitos fisiológicos sobre humanos, reduzindo os níveis de colesterol total, de triglicerídeos e de LDL-colesterol, sem alterar a fração HDL-colesterol do plasma. Outra informação importante, observada com o consumo de dietas ricas em ácido oléico, foi a redução dos níveis de fibrinogênio do plasma, visto que essa fração reconhecidamente atua no desenvolvimento de lesões das artérias, servindo como prognóstico de doenças coronárias. Dica nutricional, o seu consumo é benéfico porque melhora o perfil lipídico, pois possui um fitoquímico o betasistosterol que pode auxiliar na redução do colesterol sanguíneo, bem como a melhora da pele,  por ser fonte de vit E e protetor da vit C através de sua ação antioxidante. Pode ser utilizado em saladas de folhas, saladas de frutas e sucos… Experimente!

Alguns estudos mencionam que, além da possibilidade de introduzir o óleo de abacate puro para uso comestível como substituto do óleo de oliva, uma das alternativas para oferecer ao consumidor brasileiro um produto de superior qualidade seria a produção de óleo de oliva e de abacate mesclado, em substituição às misturas de óleo de oliva com óleos vegetais (principalmente óleo de soja), normalmente oferecidas pelo mercado interno com a finalidade de diminuir os custos de importação do azeite de oliva no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *